FANDOM


(As ideias para a religião foram tiradas do site Goblin Punch: http://goblinpunch.blogspot.com.br/)

A religião órquica é a religião praticada pelos orcos, os quais possuem uma relação de ódio com as divindades a quem se dirigem. Os orcos acreditam que seus deuses são apáticos na melhor das hipóteses. Na pior hipótese, são criaturas terríveis e extremamente malignas. Deuses, para os orcos, são entidades para serem ou ignoradas ou odiadas. Seu panteão não foi feito para ser adorado, mas aplacado ou para ter a atenção desviada.

Os orcos sequer querem saber o nome dos seus deuses. Falar um desses nomes em voz alta atrai a atenção dele. Orcos não querem atrair a atenção de seus deuses. Querem ser esquecidos por eles. Assim, nenhum orco "decente" aprenderá o nome de qualquer um de seus deuses. Um xamã, por outro lado, deve decorar todos os nomes como parte de suas tarefas. Mas um xamã, entre os orcos não é um cargo ambicionado. Pelo contrário. É um castigo.

Se os deuses fossem bons não teriam amaldiçoado os orcos, porque a raça se vê como maldita. Eles são feios, a maioria é estúpida e a única coisa que sabem fazer bem é destruir. Mesmo destruir o que amam. Orcos são passionais, está no sangue da raça. Eles amam com ardor e detestam com a mesma intensidade. E eles detestam os deuses horríveis que os amaldiçoaram a serem o que são. Em seu entender, os deuses odeiam o mundo e odeiam os orcos acima de tudo. Não é de se surpreender, portanto, que seus deuses só saibam se comunicar através da violência. Isso que passa a impressão de que todos os deuses orcos são deuses da guerra.

Os orcos não têm medo de seus deuses, mas tampouco são reverentes. Em geral, os orcos estão furiosos, posto que seus deuses são as únicas criaturas que eles odeiam e são incapazes de destruir com a carnificina que lhes é típica. Não se pode cortar um deus com um machado. E, se pudessem, provavelmente o deus retornaria mais zangado ainda.

Orcos também não erguem templos ou locais de adoração. Eles não querem nada que chame a atenção de seus malditos deuses. E desprezam os deuses das demais raças como fracos. Os deuses estrangeiros que não são fracos, são como seus próprios deuses: feitos para serem odiados. Isso faz com que, quando um bando de orcos domine uma vila ou cidade, a primeira coisa que façam é se reunirem nos templos locais e os desecrá-los. Para mostrar aos deuses estrangeiros que eles não estão nem aí. Que eles não temem deuses fracotes. Eles mijam e cagam no lugar todo, antes de espalhar o sangue dos devotos pelas paredes e então colocarem as estruturas abaixo.

Os xamãs dentre os orcos não são clérigos ou possuem classe divina. Eles não veneram, não adoram, nem presidem cerimônias. Aliás, as únicas cerimônias religiosas que os orcos fazem são aquelas que eles acreditam que impedem os seus deuses odiosos de simplesmente cortar Kishara em pedacinhos. Enquanto eles viverem no mundo, preferem Kishara sem ser picada. Um xamã é simplesmente um orco que é tão odiado ou desprezado pelos demais de sua tribo que ganha a função lamentável de ter que servir de intermediário para entidades com as quais nenhum orco quer lidar. Seus próprios deuses.

Os orcos não acreditam em um paraíso. Os deuses são tão sacanas que devem mandar todos eles para o Inferno ou para o Abismo quando morrerem. Paraíso é uma mentira que as demais raças contam porque são incapazes de encarar a realidade. Elas se escondem de medo da possibilidade que morrer é ainda pior do que viver essa vida miserável.

Violência Sagrada Editar

Outras religiões procuram sinais da vontade divina em vários portentos. Para os orcos, a dor é a maneira pela qual seus deuses se comunicam. Cada dor é um sinal divino. Se seu joelho dói é porque seus deuses o chamaram de covarde fujão. Se o seu ombro está doendo, algum deus lhe avisa que um companheiro próximo lhe trairá. Se você tem dor de cabeça, seus deuses estão dizendo que você é um idiota completo e não pensa nada que preste.

Não somente a dor. Os deuses comunicam-se através do sangue. Ao final da batalha, um xamã orco estará passeando entre os cadáveres inimigos, lendo sinais na maneira como o sangue foi derramado.

Os deuses se comunicam através da cicatriz. Eles olham para os formatos e tamanhos das mesmas. Cada maneira como a cicatriz aparenta ser é um indício de algo que o deus queira dizer. A cicatriz é descolorida? É pronunciada? Segue a curva do corpo? Seus cantos são limpos? Orcos jamais confiarão de todo em uma pessoa sem cicatrizes da mesma forma como um humano não confiaria em uma pessoa que se recusa a dizer seu nome. Uma pessoa sem cicatriz se recusa a revelar o que ela é, o que os deuses revelaram para ela.

O lado positivo dos deuses órquicos é que se pode barganhar com eles. Através do sangue e da dor, é claro. "Se eu sobreviver à batalha", diz um chefe de guerra, "eu empilharei todos os crânios deles em sua homenagem".

Amor Requer Sacrifício Editar

Já que sofrimento e violência são as únicas coisas que parecem aplacar a sede de sangue infindável dos deuses, os orcos acreditam que apenas por serem violentos eles impedem que suas divindades destruam o mundo. O dia que os deuses pararem de rir do fato que os orcos são sanguinários e estúpidos é também o dia em que eles varrerão Kishara da existência. Assim, em seu ponto de vista, com violência e crueldade os orcos estão salvando o mundo.

Mas os orcos não estão tristes por causa disso, da mesma forma que um pastor não fica triste em matar algumas ovelhas para alimentar a si mesmo. Entre eles mesmos, os orcos podem ser amáveis e queridos. Eles amam visceralmente suas crianças e fariam qualquer coisa por elas. Eles criam laços de amizade e camaradagem dentro de seus bandos de guerra. Confie suas costas a um parceiro e ele confiará as costas a você. Orcos se sacrificam por aqueles que eles amam.

Entretanto, os orcos precisam manter este lado de sua cultura dentro de suas próprias casas, onde seus deuses não consigam perceber tais atos de ternura. Eles acreditam que os deuses olham do espaço, olham de cima. Assim, eles somente enxergam o que está a céu aberto. E a céu aberto, um orco é brutal. É cruel. Mas o que os deuses não enxergam, eles podem ouvir se você falar alto o bastante. Eles escutam o que você fala até mesmo na caverna mais profunda. Um orco jamais dirá "eu te amo" para alguém em voz alta. Os deuses o puniriam ferrando com a vida da pessoa amada.

Assim, as demais raças enxergam os orcos como sem compaixão, sem gentileza. Eles acreditam até que os orcos não possuem uma palavra para "amor" em seu idioma. Meia-verdade. A palavra para "amor" existe, apenas não é dita em voz alta. Soaria como blasfêmia para os deuses. E eles sabem o que os deuses fazem quando irritados. Portanto, orcos demonstram afeição através de eufemismos. Muitas vezes, o amor é disfarçado de xingamento. Eles somente arriscarão a confessar que amam alguém sussurrando ao pé de ouvido, escondidos do céu aberto.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.