FANDOM


O nanico é o idioma falado pelos anões de Kishara, não importa a origem cultural que tenham.

O nanico é um idioma aglutinativo, cuja maioria das raízes (embora não todas) são triconsonantais. Ele somente possui vogais puras (sem ditongos). A ordem das palavras costuma ser SOV (sujeito, objeto, verbo), empregando artigos para marcar a declinação. Substantivos não possuem variação de número, então a noção de quantidade é dada ou pelo artigo ou por outras palavras na frase. Verbos são apenas conjugados em seus dois aspectos: pontual ou contínuo. O nanico é conhecido pelo seu grande e complexo sistema de honoríficos, cujo vocabulário indica as relações de status e hierarquia entre o falante, o ouvinte e as demais pessoas mencionadas.

Fonologia Editar

A pronúncia do nanico possui pequenas variações dialetais, mas é compreensível em qualquer uma de suas formas. O idioma possui monotongos e hiatos, mas não ditongos. O nanico também não emprega semivogais. Suas consoantes podem ser surdas ou sonoras.

Consoantes Editar

Fonemas Consonantais
Labial Coronal Velar Glotal
Nasal m n ng
Oclusiva b t d k g
Fricativa sibilante s z
não-sibilante f v th dh kh h
Lateral l
Rótica r
  • TH, DH, KH representam respectivamente os sons /θ, ð, χ/.
  • NG representa /ŋ/ em final de palavra e /ŋg/ nas demais posições.
  • R, em verdade, é a uvular /ʀ/.

Vogais Editar

Todas as vogais do nanico são puras — em outras palavras, não há ditongos. Há cinco vogais, a única incomum para o sistema fonético sendo o schwa /ə/ (representado por um Ë com trema na transcrição), o qual substitui o som de E inexistente no idioma. A duração das vogais é fonêmica, quatro delas possuindo um som breve e um longo (o schwa não possui som longo). Vogais longas são transcritas com um circunflexo (Â, Î, Ô, Û).

Gramática Editar

A ordem das palavras no nanico é SOV (sujeito, objeto, verbo). Mas o sujeito ou objeto não precisa ser dito se podem ser inferido através do contexto. Como resultado, há uma tendência à brevidade. O nanico omite pronomes se eles são óbvios a partir da sentença anterior. Por exemplo, rëmaza (ciúme) pode ser uma sentença inteira inferindo "eu estou com ciúmes".

Não existem pronomes propriamente ditos no nanico. A escolha de palavras usadas como pronomes depende do status social e hierárquico entre os mesmos. Títulos honoríficos são quase sempre usados no lugar de pronomes, quando existem.

A maioria das raízes do nanico, embora não todas, costumam ser triconsonantais, ou seja, criadas a partir de três consoantes. A ideia de “comer”, por exemplo, é associada à raiz VSK. Antes, depois ou entre estas consoantes, vogais podem ser acrescidas para conferir significados específicos. Por exemplo, da raiz MRZ "peixe", podemos construir as palavras maraz "pescar", murz "pescador", maroz "pescado", mraz "peixe", mîruz "vara de pesca", mrîz "carne de peixe", murzo "escama de peixe", muruza "lago de pesca".

Inflexão e Conjugação Editar

A maior parte das inflexões de um substantivo são dadas pelo artigo ou adjetivo que o acompanham. A palavra bëmab pode se referir tanto a um único javali ou a vários javalis. Hrat pode ser uma única pessoa ou várias pessoas. Assim, ta hrat é "a pessoa", enquanto ton hrat são "as pessoas" (ou "o povo"). Coletivos são marcados pelo sufixo -tuto. Assim, quando um anão fala Silvatuto ele está se referindo à família Silva e não a um indivíduo em particular chamado Silva. Existem, entretanto, alguns plurais verdadeiros além dos artigos e adjetivos, como varr "nós".

Os verbos possuem dois aspectos: contínuo e pontual. Usa-se o aspecto contínuo quando a ação continuou repetitivamente por um determinado período de tempo (no passado) ou ocorre com freqüência no presente. Uma ação pontual é aquela que ocorreu em uma dada ocasião no passado ou está ocorrendo no presente momento. O passado é marcado por advérbios, enquanto o tempo presente é usado também para o futuro.

Existem duas partículas que denotam interrogação. A primeira é a mais genérica la. Por exemplo, î banant "está tudo bem" se torna î banant la "está tudo bem?". O segundo é , que demonstra especial interesse. Perceba a diferença entre kanalt kî "não estar vindo", kanalt kî la "você não está vindo?" e kanalt kî nî "por que você não está vindo?"

Há duas formas de negação. A primeira é verbal e usa a partícula após o verbo: banan gar banan kî "ser ou não ser". A outra é usar o artigo negativo kân: ta bîrud vu tabart "eu comerei pão" se torna kân bîrud vu tabart "eu não comerei pão".

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.