FANDOM


Gnomos possuem entre 3'1'' e 3'8'' (94 cm a 1,12 m) de altura e pesam entre 77 e 98 lb (35 a 44 kg). A aparência deles é de pequenos duendes, com orelhas pontudas e olhos de uma cor só (sem íris ou pupila), quase sempre verdes ou azuis. Não há pelos corporais, exceto cabelos e, nos homens, uma barbicha. A variedade de tons de cabelo é imensa, compreendendo não somente as matizes humanas, mas também cores exóticas como roxo, azul ou verde.

História Editar

A terra ancestral dos gnomos é Fetifados, ou ao menos as primeiras inscrições gnômicas já os colocam lá em tempos remotos. Sendo criaturas feéricas, o mais provável é em que em um passado distante, estiveram na Agréstia e, por alguma razão, moveram-se para o Jardim dos Mortais, estabelecendo-se em Fetifados.

Os gnomos foram primeiramente escravizados pelos anões de Pomóvia e depois conquistados pelos exércitos de Tulfo, o Grande. O general Petolo, que assumiu o controle de Fetifados após a morte de Tulfo, começou a escravizar os gnomos em larga escala, vendendo-os para toda Alidan e despachando-os em galeras. A região ficou sob o domínio escravagista da dinastia Petolíngia por séculos, o que terminou de espalhar os gnomos por todo o continente.

Nomes Editar

Os nomes dos gnomos são longos e multissilábicos, algumas vezes difíceis de se pronunciar. Os sobrenomes costumam mudar a cada poucas gerações e quase sempre misturam palavras do idioma local (como o comum) com um monte de sílabas sem significado algum. Exemplos incluem Botassilva, Dedomólido, Zargapálido e Garrafatusca.

Nomes masculinos: Abratoric, Batassigre, Gandagalac, Halungalom, Lominomur, Kagoldiloc, Kremolinaros, Kursonatos, Naragrutos, Kloromitos, Possilodros, Sarazutec, Targolaus, Tendizakeu, Tontokili, Varnarnoc, Zakelumic

Nomes femininos: Abenegosta, Bestilada, Fredegunda, Lamanedra, Maletandra, Negamara, Sodelina, Tartamúria

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.